quinta-feira, 27 de julho de 2017

O CORINTHIANS NÃO É BRINCADEIRA!

FALA FIEL!


O ZAGUEIRO MAIS ATACANTE QUE VOCÊ RESPEITA!!

O jogo de ontem foi pra mostrar que a boa fase do Corinthians não é só no Brasileirão. ESSE TIME TA JOGANDO DEMAIS! E Balbuena é o melhor exemplo disso. Quando o time tá bem, até o zagueiro vira artilheiro. Mais um bom resultado pra conta, que igualou a 2ª maior série invicta da história do Corinthians, com 31 jogos de invencibilidade. Recordes e mais recordes vão sendo quebrados a cada jogo. QUE FASE!!
A classificação veio e vamos, jogo a jogo, mostrando que não estamos para brincadeira. Não vamos abrir da Sul-Americana por causa do Brasileirão e vamos lutar até o final para conquistar tudo! 

SOBRE O JOGO

Poderia ter sido fácil. Mas quem disse que ser Corinthiano é fácil? No jogo de ida sofremos praticamente o jogo de inteiro e quase vimos a derrota. Mas um tal de Balbuena apareceu na área e empatou já nos acréscimos. Claro que não foi a primeira vez que aconteceu isso, mas me fez lembrar de um jogo marcante pra mim: Deportivo Táchira x Corinthians, na primeira rodada da Libertadores de 2012. O time venezuelano abriu o placar aos 21 minutos do primeiro tempo e quase vimos o Corinthians estrear com derrota naquele torneio que seria histórico pra nós. Mas no ultimo minuto de jogo, Ralf (saudades) empatou com um gol de cabeça. Essa cena passou pela minha cabeça no momento em que Balbuena empatou o jogo contra o Patriotas, na Colômbia. Quando acabou, foi impossível não lembrar do resultado de volta contra o Deportivo. Jogando em casa, o Corinthians fez 6x0! Estava certa de que o jogo de ontem seria da mesma maneira.
Se eu disser que foi difícil, vou estar exagerando. Mas também não foi um dos mais fáceis. Pra poupar alguns jogadores do cansaço e até de possível lesões, Carille não escalou Fagner, Rodriguinho, Romero e Jô (que ficou no banco). O time entrou em campo com: Cássio; Léo Príncipe, Balbuena, Pedro Henrique e Guilherme Arana; Gabriel e Maycon; Giovanni Augusto, Marquinhos Gabriel e Clayton; Kazim.
O Patriotas entrou para o primeiro tempo disposto à marcar o Corinthians e não deixar o time arriscar. O Timão teve mais posse de bola durante o primeiro tempo mas não conseguia criar chances. Por estar jogando com um time misto, apesar de não ter mudanças extremas, a falta de entrosamento era clara. Muitos passes errados e pouquíssimas jogadas trabalhadas. A tentativa maior era de chegar ao gol com Kazim, mas o que esse cara tem de simpatia, falta em qualidade. Perdeu praticamente todas as disputas com a zaga adversária e não conseguiu ter, sequer, uma finalização no jogo. Convenhamos que não é algo muito agradável para um atacante. E se atacante não resolve, temos um GIGANTE que resolve pra nós. Aos 27, Maycon cobrou um escanteio perfeito e Balbuena mandou pro fundo do gol. QUE ZAGUEIRÃO! Claro que ainda não estava definido, mas o Corinthians conseguiu aliviar um pouco mais a tensão do jogo. 

SEGUNDO TEMPO

Precisando ao menos empatar para levar para os pênaltis, o time colombiano voltou mais ligado no jogo e tentando pressionar o Corinthians. E é assim que o Corinthians gosta. A conclusão foi um contra-ataque que quase ampliou o placar com Giovanni Augusto e deu um gás no Timão. Com desvantagem, o Patriotas tentou chegar ao gol, mas tendo Cássio não devemos ter medo, ele garante! Aos 18 minutos, atendendo aos inúmeros pedidos da torcida, Fabio Carille resolveu mexer no time e colocou Pedrinho em campo, no lugar de Clayton. Pouco tempo depois, uma das melhores chances do jogo. Aos 22, Maycon quase acertou um golaço, mas a bola acabou passando por cima. A posse de bola diminuiu e a classificação ainda não estava definida. Giovanni Augusto e Kazim sairam para Jô e Camacho entrarem. Era tudo ou nada. Aos 45 minutos, Pedrinho aproveitou o lançamento de Cássio, passou pela defesa colombiana, ficou frente a frente com o goleiro e deu um tapa na bola, encobrindo Villete e fechando o placar. O primeiro gol de Pedrinho no profissional. Uma jogada digna de craque!! 

Não foi um dos jogos mais empolgantes do ano. Pra ser sincera, esperava mais. Mas o próprio Carille já havia dito que, com a equipe mista, faltaria entrosamento. O importante é que estamos classificados, seguimos firmes na disputa pelo título, a invencibilidade continua e tudo aquilo que já estamos cansados de ouvir. O CORINTHIANS TÁ JOGANDO MUITO! 

DESTAQUES

Balbuena: Chegou quieto, conquistou o espaço dele e hoje é um dos principais jogadores do elenco. Já caiu nas graças da Fiel e tem a confiança e o respeito de todos. Se é na área do Corinthians ou na área do adversário, não importa, Balbuena é sempre decisivo, na defesa e, agora, no ataque. É um exemplo! No jogo de ontem foi o capitão, merecido. UM LÍDER NATO!

Pedrinho: 19 anos e já é o xodó da Fiel! O estádio inteiro gritou seu nome pedindo para que entrasse no jogo e o gênio Carille atendeu. Mostrou seu talento com boas jogadas e ajudando o time. Finalmente saiu o tão esperado gol. MUITO MERECIDO! Apesar da pouca idade, já deixou claro do porque é querido pela torcida: sabe jogar (e muito!) e ama a camisa que veste. Além do gol maravilhoso, proporcionou um dos momentos mais lindos do ano: comemorou nos braços da Fiel! Me deixou a sensação de inocência. Do menino que saiu da base, que lutou pra chegar até aquele momento, que ama o que faz e que ainda veste a camisa por amor e não por estar cego pelo dinheiro. O FUTEBOL PRECISA DE MAIS PEDRINHOS! Foi lindo ver o gol, a comemoração e me encheu de orgulho pelos meninos do nosso Terrão. Pedrinho é craque e é Corinthians!

Kazim: Depois do jogo, foi definido pelo Carille como "uma dor de cabeça boa". Por enquanto não consegui encontrar a "boa". Não conseguia ganhar da defesa do Patriotas e saiu do jogo sem NENHUMA finalização. É uma excelente pessoa, brincalhão, sempre diverte as entrevistas, é do povão e muito querido pela torcida. Mas só a simpatia não é suficiente para marcar gols. Talvez por ter poucas oportunidades, não consegue pegar o ritmo do jogo quando entra e acaba não marcando. É um jogador que treina muito, se dedica muito e tem o espirito de querer ajudar o time. Quero acreditar no que o Carille diz. Mas ainda não me convenceu. Ontem, durante o jogo, ouvi um comentário do Casagrande e pela primeira vez concordei com o que ele disse: "A torcida só aplaude e gosta do Kazim porque a fase do Corinthians é muito boa. Se o time precisasse desesperadamente de um gol, estivesse no sufoco nos campeonatos, todos estariam xingando e não teria simpatia que revertesse isso". Mas como paciência é o nosso lema esse ano, acredito que ele ainda vai se redimir e trazer mais alegrias para a torcida, de preferencia, com gols.

Carille: MESTRE! Colecionador de recordes e um verdadeiro gênio. Não tem nem o que dizer, porque tudo que eu disser, já é repetitivo demais.

Pra terminar, fica aqui o golaço do menino Pedrinho.

Por todos os ângulos porque merece

Pela Sul-Americana, o Corinthians volta a jogar só em setembro, com o vencedor entre Racing (ARG) e Independiente Mellín (COL).

O próximo desafio do Corinthians pelo Brasileirão é domingo, às 16h, contra o Flamengo, na Arena Corinthians. Sinto cheirinho de mais 3 pontos pra conta....

VAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAI CORINTHIANS!

terça-feira, 25 de julho de 2017

AINDA NÃO ACABOU


QUE JOGO, MEUS AMIGOS! QUE JOGO!

Aquela partida que dá orgulho de assistir. E que começou emocionante com a homenagem ao nosso grande goleiro, Waldir Peres. Um jogo muito movimentado, cheio de passes e as duas equipes fazendo aquilo que dava pra fazer. O empate do São Paulo com o Grêmio foi muito significativo, por ser um jogo importante para as duas equipes e pelo Grêmio ter o melhor time/elenco do campeonato.
De um modo geral, o empate terminou com sensação de vitória, de saber que não tem nada definido ainda, que nosso time está jogando pra ganhar e se continuar assim sairemos dessa logo! E como disse o Dorival Jr na coletiva pós-jogo “Isso é uma condição que o próprio jogador tem que buscar”. E é verdade! Pode ter a formação que for, mas precisa partir dos jogadores a vontade de vencer!

Durante o primeiro tempo, ficou nítido que o Grêmio é uma equipe muito bem formada, os jogadores dominaram a primeira etapa mesmo quando não estavam com a bola e é um time taticamente muito bem preparado, um futebol bem agressivo e confiante. Já o São Paulo é um time que taticamente deixou a desejar.

Acho que seria interessante mudar algumas coisas no time, como colocar o Lucas Fernandes de titular no lugar do Gomez, porém é preciso considerar que o São Paulo é uma equipe que não tem um banco de reservas muito bom, então é preciso achar uma maneira de equilibrar isso. Na coletiva, Dorival revelou que logo Lucas Fernandes irá conquistar o espaço que já é dele.
Lucas é um jogador que sofre muito com as lesões e por isso perde ritmo de jogo, mas recupera grande parte do “tempo perdido” dedicando-se ao máximo nos treinos, e aí quando entra faz o que vimos ontem, que mesmo machucado (sentiu uma lesão logo em seu primeiro lance) manteve-se em campo e foi o autor do gol de empate! #MadeInCotia

Bruno não jogou bem, não marcou, fez um primeiro tempo muito ruim, com diversos passes errados e entregando a bola para os jogadores do Grêmio. Vive uma fase nada boa. Foi substituído por Gilberto que quase garantiu a vitória no finalzinho do jogo.

No segundo tempo mal sabíamos que o time viria com muito mais vontade! Que jogo lindo de se assistir. E essa raça do São Paulo foi responsável por "incomodar" a parte tática do Grêmio, que mesmo assim continuaram pressionando. Marcação boa, lutaram até o fim para não perder NENHUMA bola!

Dorival arriscou nas substituições, mas foram boas e melhoraram muito o time. Renan Ribeiro tem nos ajudado muito, e mesmo com as notícias das sondagens e procura do São Paulo por um novo goleiro, eu acredito que não seja necessário, pois estamos bem nesta posição.

Algumas coisas ainda precisam mudar, principalmente a lateral direita. E eu sei que não é o pensamento de muitos, mas eu acredito que valerá a pena colocar o Araruna na lateral, jogador que já atuou como volante e que pra mim seria uma boa opção. O meio de campo tem conseguido fazer boas atuações, porém precisa haver mais ligação entre eles e o ataque, a bola precisa chegar no Pratto, porque quando chega, é quase 90% de chance de gol ou assistência.

Uma coisa que percebi de diferente é que o São Paulo sempre voltava em um ritmo inferior para o segundo tempo, e se o resultado não viesse no primeiro tempo, eram poucas as chances de vir no segundo, mas nesta partida foi diferente. A segunda etapa foi bem melhor que a primeira.

O trabalho do Dorival tem me deixado bem confiante e confirma o que eu sempre disse: haverá oscilação, mas os pontos somados a cada rodada serão muito importantes e quando embalar: VAI SUBIR! É um técnico que tem aproveitado bem o tempo, trabalhado com calma sem se desesperar diante dessa situação.

E o 12º jogador foi formado por 51.511 pessoas que quebraram o recorde de público no Brasileirão e mostraram para esses jogadores que nós acreditamos neles!!! PARABÉNS, TORCIDA TRICOLOR!

E eu resumo o jogo com a fala do Aloísio lá em 2013: “Se não dá na técnica vai na raça [...] É preciso marcar e saber jogar". 

Nosso próximo desafio é o Botafogo, sábado (29/07) às 16h, no Mineirão!



#VamosSãoPaulo #AcreditarSempre #DesistirJamais

quinta-feira, 20 de julho de 2017

ACREDITAR SEMPRE!


Finalmente depois de nove jogos a torcida são-paulina pôde comemorar uma vitória do time. E que vitória! Tricolor jogou muito e mereceu a conquista dos 3 pontos, que não foram suficientes para sair do Z-4, mas são importantíssimos nessa batalha que estamos enfrentando contra a zona de rebaixamento.

O São Paulo teve mais movimentação, troca de bola e jogou com muito mais raça, um cenário completamente diferente dos últimos jogos. Mesmo diante de um time que não estava com uma formação forte e uma arbitragem que não deixou passar quase nada e marcou muitas faltas, vi um time diferente e disposto a garantir a vitória.

No gol, Renan Ribeiro perante a má fase entre derrotas e empates, ajudou muito o São Paulo. Se não fosse ele fazendo diversas defesas difíceis, estes jogos terminariam com uma diferença muito grande no placar, afinal o São Paulo mal conseguia atacar, porém sofria muito com as ameaças dos adversários. Já admiro o Renan há alguns anos e para mim ele merecia a titularidade após a aposentadoria de Rogério Ceni.
Um dos grandes problemas era que Renan estava levando gols em todos os jogos.
Porém no jogo contra o Vasco ele fez mais uma de suas belas partidas. Em um determinado momento, deixou a bola passar e se não fosse o zagueiro Rodrigo Caio, o Vasco teria balançado as redes. Mas no jogo como um todo, ele mostrou que está motivado e merece a titularidade.

O peruano Cueva foi uma das minhas maiores surpresas no jogo de ontem. Quem diria que a chegada de Hernanes iria fazer isso, hein? Bom, se foi por medo de perder a titularidade ou por estar em um dia muito inspirado não sabemos, mas ele mostrou um futebol que há tempos não mostrava. Participativo, interessado na partida, fez desarmes, boas jogadas, deixou jogadores na cara do gol, além de quase marcar um. Resumindo: Deu trabalho para o goleiro Martín Silva. Muita visão de jogo! Mostrou que pode ser muito útil para o time e fez valer a pena os aplausos que recebeu ao sair de campo.

Pratto continua me orgulhando e mostrando que valeu a pena trazê-lo para o São Paulo. Pensa em um jogador que não perde chances de finalização. Então, é ele! Foi autor do gol que nos garantiu a vitória logo no primeiro minuto da etapa inicial. Passe de Petros, arranque e assistência do inspirado Cueva e finalização para um belo -e merecido- gol de Pratto.

O argentino Jonatan Gómez não fez uma grande partida, mas ajudou muito na recomposição da bola. Petros mostrou personalidade em campo e Jucilei jogou bem, como vinha fazendo. Ah, e é claro: teve Lugano, que como sempre mostrou preocupação com o time ao tentar arrumar a barreira e por isso levou cartão amarelo mesmo fora de campo, e está suspenso do jogo contra o Grêmio.

Existem alguns pontos para melhorar como as jogadas pela lateral, mas a marcação, que era uma das minhas maiores preocupações, melhorou muito. O time como um todo fez uma ótima partida, mostrou raça e cumpriu a lição de casa obedecendo o esquema tático (4-4-2).

E meus parabéns também para a torcida, que não deixou de apoiar nosso tricolor e compareceu em peso ao Morumbi, e mantém uma média de público de 21.800 #Orgulho

O nosso próximo confronto é mais difícil, porém eu acredito na vitória. Enfrentaremos o Grêmio, na segunda (24/07) às 20h, no Morumbi.


#VamosSãoPaulo #VamosApoiar #ACamisaMaisPesada

LIDERANÇA AMEAÇADA?



No dia do futebol, nada melhor que uma partida do Corinthians pra ter certeza de que é muito mais que um esporte, é mais que um time. É amor que não tem fim! A vitória não veio, mas temos motivos de sobra pra comemorar.
Pelo segundo jogo seguido o Corinthians não conseguiu vencer, mas já são 4 meses (exatos!) sem saber o que é derrota. Infelizmente, a vantagem na liderança caiu para 6 pontos, ou seja, no mínimo mais 2 rodadas no topo. Mesmo assim, a campanha espetacular que o Corinthians está fazendo, é a melhor dos pontos corridos após 15 rodadas. São 37 pontos, com 11 vitórias, 4 empates e 82,2% de aproveitamento. A TERCEIRA MAIOR CAMPANHA INVICTA DA HISTÓRIA DO CLUBE (empatado com a de 1956). Temos algum motivo pra achar que o Corinthians tem algum problema por causa de um empate? Acho que não... Claro, não agrada, principalmente por ter sido contra um dos times do Z-4. Deixou um pouco a desejar, mas não é motivo para preocupação.

SOBRE O JOGO

O Corinthians teve a bola e o controle sobre o jogo, o que não é comum por ser um jogo fora de casa. E parecia ser um daqueles dias que não era pra ser. Mas o problema maior não é a falta de gol. Com menos de 15 minutos do primeiro tempo, o Corinthians foi obrigado a fazer duas substituições (DUAS!!). Jadson e Pablo saíram lesionados. SAI ZICA! Obviamente as mudanças atrapalham o planejamento do jogo. Mas nada que fosse muito assustador. Fica aqui a torcida para que se recuperem logo e possam voltar o mais rápido possível.
O Corinthians partiu para o ataque e foi superior durante todo o jogo. Pedro Henrique e Rodriguinho chegaram perto mas Douglas defendeu. Guilherme Arana também tentou, após uma bela jogada, mas finalizou errado. Quando não é dia, não adianta! É fácil perceber quando não vai dar certo. O Avaí teve pouquíssimas chances de gol no primeiro tempo, não assustou nada.
Por ser time pequeno e na zona de rebaixamento, o resultado positivo podia ter sido fácil. Mas é como eu disse no post passado: o dia que o Corinthians perder, será por erros do próprio Corinthians. O dia em que a bola não vai entrar por nada e em um lance bobo, a derrota vai chegar. Não existe jogo fácil. O futebol é uma caixinha de surpresas!

SEGUNDO TEMPO

Mal tinha começado e já levamos um susto. Porque jogo do Corinthians sem pequenos ataques cardíacos, não é jogo do Corinthians! Depois de um cruzamento pela direita, a bola bateu na coxa de Simião e foi por cima do gol, para o alívio dos Corinthianos. Claro que o Timão resolveu responder ao ataque. Infelizmente a defesa do Avaí conseguia segurar as tentativas. O Corinthians cresceu mesmo aos 28 minutos e teve duas belas oportunidades de marcar. Rodriguinho e Jô tentaram. Em uma, Douglas defendeu. Na outra, a bola foi por cima do travessão. Ainda bem que temos a trave pra nos livrar de alguns perrengues, como o lance do Joel, que chutou rasteiro mas não acertou as redes. Mas, da mesma maneira que ajuda, também atrapalha. Quase tivemos um gol contra de Betão após cruzamento de Arana, mas novamente a bola parou na trave. Depois, ainda tivemos um chute de fora da área de Rodriguinho, também sem sucesso. A última esperança de gol do Corinthians foi aos 46 minutos, com uma cobrança de falta de Guilherme Arana. Pedro Henrique tentou de cabeça, mas Douglas espalmou e o juiz terminou o jogo.

O empate não assusta, não incomoda, mesmo sendo contra um time "fácil". O problema maior não é o resultado do jogo, mas o rebuliço em cima disso. Fora os torcedores que estão comemorando o """tropeço""", tem os corneteiros que dizem que o Corinthians está caindo, que vai voltar ao que era antes. Não entendo o porque disso. O Corinthians é e sempre foi grande! A única diferença é que era desacreditado no começo do ano e após grandes resultados, uma pressão gigantesca foi colocada em cima do time. Em momento algum o time se deslumbrou com os resultados e com a campanha histórica. Muito pelo contrário. O trabalho que está sendo feito é espetacular e diferente de todos os outros. Mais uma vez quero exaltar o compromisso de todos os jogadores e comissão técnica com o time. A seriedade e humildade são essenciais para continuar a sequência. Mas, de todos os fundamentos dessa fase, o principal é a PACIÊNCIA! Digo em todos os posts e é isso que devemos ter. Como disse Carille, não vamos ser campeões com 15 rodadas de antecedência. O Corinthians não está em crise por ter sofrido o segundo empate consecutivo. O time não vai despencar na tabela porque todo mundo está secando ou porque um técnico que mais fala do que faz disse isso. A sequência positiva vai sim diminuir, a invencibilidade vai ter seu fim um dia. Mas o título não está perdido. SOMOS LÍDERES ISOLADOS E INVICTOS! E JÁ SE FORAM 15 RODADAS. Em comparação com o nosso último titulo Brasileiro (2015), o Corinthians fechou o primeiro turno com 40 pontos. Estamos à apenas 3 pra atingir essa marca. 3 pontos em 4 rodadas não é impossível. PACIÊNCIA E TRANQUILIDADE. O campeonato só acaba quando termina e isso não é novidade pra nós. Se for fácil não tem graça. Qual o sentido de ser campeão se não for digno de Corinthians? Sofrido até o ultimo segundo e na raça? É assim que somos, é assim que estamos acostumados e é assim que vai ser!

Pra finalizar, deixo aqui uma resposta MARAVILHOSA, do nosso GENIAL Fábio Carille, na entrevista coletiva após o jogo:
"Foi um jogo dentro da média, dentro do que esperávamos. Muito feliz pelo nosso trabalho, porque vocês criaram uma expectativa de que seríamos campeões faltando 15 rodadas. Isso é absurdo. Nossa média de pontuação está até acima da normalidade. Não tem que abalar nada, o campeonato será definido nas últimas rodadas. Disparamos no início, mas não vamos conseguir manter 87, 88, 89% de aproveitamento. A exigência é de vocês, nós trabalhamos com os pés no chão, eu trabalho com a média pela qual fomos campeões em 2015. A gente trabalha jogo a jogo, estamos conscientes de tudo que está acontecendo". Não tem nem o que discutir....

E é jogo a jogo que vamos escapando do rebaixamento e deixando o cargo de quarta força de lado :)
Nosso próximo confronto é fora de casa (RJ), contra o Fluminense, no domingo, às 16h.

VAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAI CORINTHIANS!!!!